Meu Recanto de Versos e Prosas...

Um Lugar Calmo e Aprazível Onde Você se Diverte, Reencontra e/ou Revive Suas Mais Infinitas Emoções!

Textos

MATANDO A FOME...

Dois pernilongos voavam famintos, procurando algum animal distraído para picá-lo e acabaram encontrando o dorso de um sapo que repousava à beira de uma lagoa de águas claras e passaram a sugá-lo discretamente.

Uma libélula que também voava faminta à procura de insetos distraídos, ao avistar os pernilongos sobre o dorso do sapo se aproximou rapidamente do anuro sonolento e perguntou:

- O que esses pernilongos estão fazendo aí no seu dorso? Será que eles não têm outro lugar mais aconchegante e mais seguro para ficar?

O sapo ficou nervoso com a pergunta indiscreta feita pela libélula e sem entender ao certo se ela tinha dito “picar” ou “ficar”, reagiu com uma coaxada acima do normal:

- Alto lá, libélula! Estes pernilongos são meus protegidos e eu estou os deixando repousar um pouco. Ademais, não pretendo utilizá-los nem como petisco, porque meu prato predileto é libélulas ao molho pardo com ovas de peixe.

A libélula ficou meio assustada com a resposta do sapo, ato contínuo olhou para o galho de uma arvore que estava à sua frente e viu que uma rã já se preparava para saltar em sua direção e tratou de sair rapidamente para ficar longe do alcance daqueles dois anuros esfomeados.

Em seguida, num recanto mais seguro daquela lagoa, aproveitou o momento para fazer sua primeira refeição diária, comendo algumas moscas e mosquitos indefesos que ainda restavam por ali, além de parar um pouco para refletir sobre o ocorrido e sussurrou:

- Cometi uma gafe danada tentando pegar aqueles dois pernilongos protegidos por aquele sapo insolente e quase fui comida por uma rã faminta. Já está na hora de eu entender que nesses tempos de escassez de quase tudo, a variedade de alimentos costuma ficar minguada demais para todo mundo, até para os seres de minha espécie - admitiu.

Sem ter muito o que fazer naquele recanto da lagoa, a libélula voou sem direção à procura das moscas, pernilongos e mosquitos indefesos que rondavam por ali, visando à realização de mais uma de suas inúmeras refeições diárias.
Germano Correia da Silva
Enviado por Germano Correia da Silva em 09/08/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras